Você está aqui: Primeira Página CADERNO GERALIS
edição de 23.08 a 30.08 de 2008

  CADERNOS

 Campus
 Ciência/Tecnologia
 Cultura
 Esportes
 Geralis
 Mídia
 País
 Porto
 Regional
 Saúde
 Primeira página



  INTERNATIONAL 

 InfoSpace



  OUTROS SERVIÇOS

 UNISANTA Online WAP
 UNISANTA Online RSS

 Podcast do Online



  CONTATO

 Sugira uma pauta
 
Colabore conosco
 
Escreva para nós


  O ONLINE

 Arquivo
 
História
 
Eleições 2004
 Eleições 2006
 
Parceria InfoSpace
 
Parceria U-Wire
 Expediente



  ADICIONE-NOS

 Na lista de Favoritos
 Como sua página inicial



 

 

 

 

 

 
imprima esta página
indique esta matéria para um amigo
Cosmético embeleza, mas também envelhece a pele
quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Tatiana Queiroz

Se não houver cuidados, o uso excessivo de maquiagem pode causar acne e, a longo prazo, acelerar o processo de envelhecimento da pele. Quem afirma é o dermatologista Milton Blanco Trindade Filho. Ele conta que isso acontece quando o uso do cosmético é feito constantemente e sem as devidas precauções.

Com o decorrer do tempo, a obstrução das glândulas sebáceas pelo cosmético começa a causar alterações químicas na pele. Com isso, além das acnes, há também o envelhecimento precoce.

O envelhecimento começa a ser notado cerca de um ano após o uso descuidado de maquiagem. O primeiro sinal é o aparecimento de rugas finas na pele. Isso pode ser evitado com alguns cuidados simples, como usar protetor solar na praia, evitar água quente e manter a nutrição constante da pele, além da higienização após o uso da maquiagem e ao dormir, conforme indica a esteticista Ana Maria Silva Veas.

Esses cuidados são rotineiros na vida da universitária Kátia Graziele Cunha, de 20 anos. Ela usa maquiagem diariamente há 7 anos e considera esse recurso indispensável ao ir para a faculdade. Sua rotina é repleta de sombra, lápis, blush e afins, que dividem espaço com as constantes higienizações e nutrições da pele.

Ana Veas diz que estes cuidados servem como prevenção, mas não revertem o processo de envelhecimento, principalmente se ele estiver avançado. Nestes casos, a esteticista indica tratamentos a base de ácidos, alguns cremes, peelings, ou cirurgia. Tudo depende do estado de envelhecimento da pele. Já Milton Trindade indica remédios dermatológicos nesses casos.

Máscara nutritiva - Ana Maria Veas indica uma receita de máscara nutritiva com meio mamão, uma colher de mel e duas colheres de iogurte natural. Os ingredientes são batidos no liquidificador e a mistura é passada no rosto, e agindo por 30 minutos. O que sobrar não deve ser guardado.

Segundo a esteticista, é importante que a pele esteja devidamente limpa antes da aplicação da máscara.


Outras reportagens do caderno Geralis:

 Ecoturismo une natureza e desenvolvimento sustentável
 Eleição em Santos tem disputa entre nanicos e gigantes
 Sociedade tem canais de participação política
 Bicicletas são alternativa para melhorar trânsito santista


 

 

 

 

DESTAQUES

POUCAS E BOAS 


 

ONLINE RSS 

Pioneiro em seu segmento, o UNISANTA Online publica uma versão XML de suas reportagens semanais.
Leia mais


PODCAST DO ONLINE
 

Sempre realizando experiências com as mais recentes tecnologias disponíveis, o UNISANTA Online inicia a publicação de matérias especialmente desenvolvidas para podcast.
Leia mais

NO CAMPUS 

UNISANTA Notícias
Página contendo as últimas novidades da universidade em informes elaborados pela Assessoria de Comunicação da UNISANTA.

Visita virtual 360º
Faça agora mesmo uma visita virtual ao campus da UNISANTA e visualize seus ambientes em 360º.

Primeira Impressão
Jornal-laboratorial elaborado por alunos do quarto ano do curso de Jornalismo da Universidade Santa Cecília.

mais sites

 

UNISANTA Online - Jornal-laboratório da Faculdade de Artes e Comunicação da Universidade Santa Cecília (FaAC)
Correspondência: UNISANTA Online - Rua Oswaldo Cruz, 266 - Boqueirão - Santos - SP.
© 1994-2008 Universidade Santa Cecília - Todos os direitos reservados. Reprodução de textos permitida mediante autorização.
As matérias publicadas são de inteira responsabilidade dos alunos-repórteres, sob a coordenação dos respectivos
professores-orientadores - não representando, portanto, a opinião da Universidade.